HRD LogBook

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

SWL - RADIOESCUTAS

RADIOESCUTAS PELO MUNDO

Entre nós, radioamadores, a troca de cartões QSL é considerada a última gentileza de um QSO. Além da satisfação que provoca, serve também para colecionar e, cumpridas as regras definidas, solicitarmos alguns diplomas oferecidos por diversas instituições, entre eles o DXCC (o mais cobiçado).
Alegria ainda maior é receber cartão QSL de colega que se dedica a escutar as diversas estações, seja de radioamador ou até mesmo de emissoras de Broadcast.
Aqui reproduzimos alguns desses cartões QSL.





















quarta-feira, 25 de novembro de 2015

ENGENHEIROS SE CAPACITAM PARA OPERAR SATÉLITE GEOESTACIONÁRIO NACIONAL

Engenheiros se capacitam para operar satélite geoestacionário nacional

Brasília, 24 de novembro de 2015 – Este mês, 24 militares das Forças Armadas concluem a primeira fase de preparação para integrar o grupo que vai operar o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).
O equipamento, que atenderá demandas de comunicações militares e civis – como o Plano Nacional de Banda Larga, será lançado em 2016 a partir da base de Kourou, na Guiana Francesa, no foguete Ariane 5.
“A expectativa da sociedade sobre o SGDC é muito grande em relação à autonomia nas comunicações do governo”, afirma o coronel Hélcio Vieira Júnior, Comandante do Núcleo do Centro de Operações Espaciais Principal (Nucope- P).
Com duração de quatro meses, o curso realizado em São José dos Campos (SP) objetiva unificar o conhecimento básico sobre o segmento espacial dos profissionais de diferentes áreas. “O assunto espacial é muito específico. Os engenheiros de computação, telecomunicações e eletrônica, entre outros, precisam dessa base de conhecimento”, detalha.
É o caso do tenente-coronel Sidney César Coelho Alves. Aviador pós-graduado em guerra eletrônica dedicou anos de sua carreira na administração do Sistema de Comunicações Militares (Siscomis) no Ministério da Defesa (MD. Agora, está imerso em aulas do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sobre teorias, métodos de lançamentos, materiais usados na construção de um equipamento, sistemas e subsistemas empregados em satélites, entre outros. “Temos uma visão geral em termos espaciais”, afirma o oficial.
Visita – À medida que se aproxima o período de lançamento, se intensificam os preparativos da equipe que vai operá-lo. No início do mês, o grupo esteve em Guaratiba (RJ) para conhecer o centro de operações da empresa StarOne. Este centro opera sete satélites, entre eles o StarOne C1 e StarOne C2 – satélites geoestacionários de comunicações que fornecem serviços para o Sistema Militar de Comando e Controle do MD. “Vimos na prática como é a operação e tivemos uma visão futura do que vamos fazer”, diz o tenente-coronel Sidney.
A visita faz parte do currículo do curso, cuja realização no Brasil é pioneira. O projeto é resultado de um esforço conjunto de diferentes instituições, como Agência Espacial Brasileira (AEB), Inpe, ITA, MD e Comando da Aeronáutica.
Nas primeiras semanas, o grupo participou de aulas do curso itinerante da Força Aérea dos Estados Unidos sobre operação de satélites. “Esse curso não existe no Brasil. Tivemos que partir do zero para construí-lo”, revela o comandante do Nucope- P.
Um segundo grupo de profissionais realiza os cursos preparatórios em centros de operações na Europa, no Chile e na América do Norte. Os primeiros passos neste sentido iniciaram ainda em 2014.
A próxima fase, prevista para o primeiro trimestre de 2016, prevê que os dois grupos estejam aptos para participar do curso com a fabricante do SGDC, a empresa francesa Thales Alenia Space.
Fonte: FAB
Foto: Divulgação/FAB – Grupo que participa de capacitação para operar o SGDC.

REPETIDORES NA PARAÍBA

LISTA DE REPETIDORES DO ESTADO DA PARAÍBA

145.230          PR7SR             Santa Rita
145.270          PR7GRP          Teixeira
145.330          PR7CG             Fagundes
146.730          PR7AAB          João Pessoa
146.750          PR7GRG          Guarabira
146.850          PR7CD             Campina Grande
147.000          PR7AAA          João Pessoa
147.090          PR7BH             Cuité
147.150          PR7CK             Gurinhém
147.750          PR7CZ             São José de Piranhas
147.390          PR7PJJ            Maturéia

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

SERPENS - Sistema Espacial para Realização de Pesquisa e Experimentos com NanoSatélites

Nanossatélite SERPENS Está em Órbita
e Tem Sinais Captados no Brasil

Coordenação de Comunicação Social-AEB

Foto: Divulgação/JAXA
O SERPENS sendo colocado em órbita a partir da ISS.

Brasília, 17 de setembro de 2015 – O satélite nacional de pequeno porte SERPENS – sigla para Sistema Espacial para Realização de Pesquisa e Experimentos com Nanossatélites – foi lançado em órbita às 9h de hoje (17) – horário de Brasília – a partir da Estação Espacial Internacional (ISS na sigla em inglês).

A colocação do SERPENS em órbita foi feita por meio do módulo Kibo JEM (Japanese Experiment Module) operando o deployer CubeSat JSSOD. Junto com o SERPENS também foi injetado em órbita o satélite japonês S-Cube, projetado pelo Chiba Institute of Technology.

Os sinais do nanossatélite já foram captados por vários radioamadores do país. Os sinais decodificados mostram que o SERPENS está funcionando apropriadamente. Algumas universidades brasileiras, em particular as estações da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, com parceria do Centro Regional do Sul (CRS) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) ajudam na recepção e rastreio do satélite.

O SERPENS, desenvolvido por um consórcio acadêmico coordenado pela Agência Espacial Brasileira (AEB), chegou a ISS no último dia 24 de agosto transportado pelo veículo japonês de abastecimento HTV5. Em órbita ele receberá uma série de dados que serão enviados por diversas plataformas de coleta de dados instaladas em diversos pontos do território. Essas informações estarão disponíveis para retransmissão para estações receptoras no Brasil e em outros países.

Objetivo - O principal objetivo do projeto SERPENS é a capacitação de recursos humanos e a consolidação dos novos cursos de engenharia espacial brasileiros. Além da Universidade de Brasília (UnB), participam também do projeto as universidades federais do ABC (UFABC), de Santa Catarina (UFSC), de Minas Gerais (UFMG) e o Instituto Federal Fluminense (IFF).

Do exterior, fazem parte a Universidade de Vigo, da Espanha, a Sapienza Università di Roma (Itália) e as norte-americanas Morehead State University e California State Polytechnic University.

O SERPENS é o terceiro CubSat nacional a ser colocado no espaço, sendo o segundo a ser lançado do laboratório espacial. O primeiro foi o AESP-14, desenvolvido em parceria entre o ITA e o INPE.

Essa primeira missão do projeto SERPENS é coordenada pela UnB, mas a proposta é que as instituições que formam o consórcio se revezem na liderança. Pelo cronograma aprovado, a UFSC será responsável por encabeçar o desenvolvimento do SERPENS 2.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

terça-feira, 10 de março de 2015

COMEMORAÇÃO 150 ANOS DA ITU

Segue informação do Murilo (PR7AYE):

"O ano de 2015 é um marco importante na história da União Internacional de Telecomunicações. Em 17 de Maio de 2015, o mundo estará comemorando os 150 anos da assinatura da primeira Convenção Internacional Telegráfica  e da criação da União Internacional de Telecomunicações (UIT). -   www.itu.int
A UIT elaborou um vasto programa comemorativo para todo o período do ano 2015   e  conclamou os países membros através dos seus organismos especializados  de telecomunicações  a elaborarem eventos para a celebração da significativa data.
Vários radioamadores membros do GUARÁ DX GROUP ( GDXG ) e LABRE   resolveram celebrar este acontecimento colocando em ativação  durante o período 28 de março até  26 de abril    indicativos especiais  com o sufixo ITU.
Já foram obtidas as devidas licenças, relacionadas a seguir:
PQ150ITU  Murilo Filho (PR7AF)
PV150ITU  Leonardo (PR7DZ)
PW150ITU  Marcos  (PR7HT)
PX150ITU  Murilo  (PR7AYE)
ZV150ITU  José Alberto  (PR7AP)
ZW150ITU  Honório  (PR7HR)
ZX150ITU  Irapuan  (PR7AR)
ZY150ITU  Alcides (Júnior)  (PR7AB)
ZZ150ITU  Henrique  (PR7AE)

Haverá participação nos concursos CQ WPX SSB  28/29.março   e   CQ MM DX CW  18/19.abril."


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Diploma BRYLA

Preparando o log para requerer o Diploma BRYLA?
Veja o regulamento e outras informações sobre esse diploma brasileiro em:
http://www.ps7dx.qsl.br/brasilyl/bryla_regulamento.htm

Comprovar QSO com 5 estações de YLs brasileiras e você terá direito a requerer o diploma acima. 
Adicionalmente, comprovar QSO com 10 estações de YLs de diferentes países (mínimo de 3 continentes) e poderá requerer o diploma acima.